Vera Saldanha

Psicologia na Contemporaneidade: Um Olhar Transpessoal

Como pode a espiritualidade humana ocupar o seu lugar de direito na Psicologia como ciência? Como pode a mesma, e a prática psicoterapêutica, reflectir um paradigma humano que admite e valoriza a dimensão transpessoal do homem e as experiências dessa natureza? Como poderemos sair do paradigma cartesiano e entrar no paradigma holístico sem perder o rigor científico e a verdade da experiência espiritual?

Formação

Os Fundamentos da Psicologia e Psicoterapia Transpessoal

Particularmente vocacionado para quem se interessa pela interacção entre espiritualidade e terapia, este curso, aberto ao público em geral, permite conhecer e interiorizar as bases teóricas da psicologia transpessoal na sua aplicação psicoterapêutica. Os seus conteúdos são essenciais para psicoterapeutas de orientação transpessoal ou para todos aqueles que querem integrar a espiritualidade no consultório ou na sua vida de modo consciente e direccionado. Incluirá teoria, prática e meditação. (Ver palavras de Vera Saldanha abaixo)

Vera Saldanha é Psicóloga Clínica, Psicoterapeuta e Doutorada em Psicologia Transpessoal. Especializou-se nas áreas da psicopatologia da adolescência, em psicodrama e em neurociências. É a presidente e fundadora da Alubrat no Brasil, e formadora principal em formações e pós-graduações em instituições públicas e privadas em vários estados do Brasil e noutros países, incluindo Portugal. Autora dos livros Psicologia Transpessoal: Abordagem Interativa e A Psicoterapia Transpessoal, é co-autora de obras como a Psicologia da Consciência e Despertando a Cura – do brincar ao sonhar. Aluna directa de Pierre Weil, continua o seu trabalho e obra.

Local:

Quíron, Rua Vítor Córdon, 5, Lisboa (Chiado)
Data: 8 e 9 de Novembro de 2008
Horário: 9h – 18h30 (com coffee break; intervalo almoço 13-14h30)
Preço: 160€

Inscrições e Informações: 96 25 888 36 ou email@almasoma.pt

VERA SALDANHA:

Trago ao querido Portugal, mais uma vez, a importância da abordagem transpessoal na psicoterapia. E de como resgatar a verdadeira unidade do Ser através dos estados de expansão da consciência numa perspectiva de transformação e aprimoramento pessoal.

O despertar e a evolução do homem exigem o auto conhecimento. Em psicoterapia, cada vez mais, se revela o alcance extremamente benéfico e significativo nas chamadas terapias de vivências passadas, quando utilizados sob o prisma da terapia integrativa transpessoal. Neste referencial, focalizamos a regressão como: um processo de conexão de memórias, de intenso conteúdo emocional, para a sua transformação, re-elaboração. Estas memórias, constituem núcleos fechados, dos quais o indivíduo não consegue desidentificar-se, resultando em comprometimento psíquico, orgânico e do relacionamento interpessoal.

Este processo terapêutico, no enfoque transpessoal evidencia o conceito de unidade como fundamento básico, o ser integral é sua tónica. E uma ética natural é favorecida pelo conceito de imortalidade e das existências sucessivas; pela  morte e renascimento do ego; e pela emergência de diferentes níveis de consciência, incluindo o psicodinâmico, ontogenético, transindividual, e supraconsciente. As vivências são intensificadas pelo eixo experiêncial; e as transformações, redecisões e integrações da dimensão espiritual da psique são favorecidas pelo eixo evolutivo.

A regressão na abordagem Transpessoal possibilita a passagem de um estado de consciência para outro, com fins terapêuticos, possibilitando a mais plena integração do indivíduo no momento presente, despertando os seus talentos actuais e favorecendo o aprimoramento pessoal.