A AlmaSoma vai organizar 2 oficinas de desenvolvimento transpessoal, facilitadas por Ilja van de Griend e Joana Carvalho. Ilja e Joana juntam-se na paixão pelo caminho de cura e transformação. Desde o final da sua adolescência dedicam-se ao seu processo pessoal. Em conjunto têm mais de 25 anos de experiência profissional com pessoas e grupos na área do desenvolvimento pessoal & transpessoal. Para as oficinas trazem a sua experiência com psicoterapia transpessoal, mindfulness, yoga, presença plena, terapia energética e coaching, entre outros.

As oficinas podem ser feitos como um conjunto ou individualmente. O valor de uma oficina é 180€; duas oficinas: 320€. Inscrição até 15 de março 20€ de desconto.

Relembrar & Renascer – Oficina 1

27 & 28 de março, 9.30-18.00

A intenção é relembrarmos e alinharmos com o nosso propósito de vida para emergirmos na totalidade.

  • Vais poder conectar com a tua consciência da alma e a tua sabedoria interna.
  • Vais poder reconhecer o teu propósito e intenção original e identificar os padrões de sobrevivência e de auto-sabotagem que se sobrepõem à expressão da tua essência.
  • Vais poder fazer a escolha de trazer toda a tua consciência da alma para o teu corpo e viver de acordo com este alinhamento.  

Manifestar & Co-Criar – Oficina 2

22 & 23 de maio, 9.30-18.00

A intenção é mobilizarmos a nossa força vital para manifestar o nosso propósito em co-criação.

  • Vais poder recuperar a tua confiança e vontade em estar visível e vulnerável e aberto para contacto e o fluxo vital que te atravessa.
  • Vais ser recebido e escutado nos teus dons e qualidades para que podes valorizar quem tu és e podes dissolver a crença que o mundo é hostil.
  • Vais abrir-te para a manifestação da tua força de vida para que possas assumir o teu lugar no processo evolutivo do coletivo.

O grupo será um contentor, um local sagrado onde podemos sentir segurança para desacelerar, aprofundar em nós e aceder a espaços ainda não conhecidos de forma consciente. Espaços que existem e aos quais acedemos ao habitarmos conscientemente o corpo.

O desacelerar vai ajudar-nos a aceder a algo novo, talvez ainda desconhecido, um espaço de mistério, sagrado. Vamos entrar nesse espaço juntos e com o suporte do grupo. Desta forma, aceder à profundidade e sabedoria que vivem dentro de nós. Essa sabedoria que está connosco antes da vinda a este corpo físico e que nos acompanhou nessa transição. Essa sabedoria viva que existe dentro de nós.

Para isso iremos praticar exercícios de habitar o corpo com atenção plena, iremos praticar como desacelerar o ritmo para assim podermos sair das restrições e limitações dos nossos pensamentos e crenças habituais, e mergulhar num contentar maior e mais espaçoso que esses pensamentos e crenças habituais. Mergulhar na experiência de ser uma alma que habita o corpo.

Vamos processar e transformar o impacto das experiências que, desde a nossa preconceção, criaram alineação da consciência da alma.

Vamos desidentificar-nos com o falso eu, o eu de sobrevivente, para nos alinharmos com o nosso eu real ou alma e expressarmo-nos desde aí. Por palavras, sons, movimentos, pinturas ou outras formas que surjam. Desta forma iremos praticar o ser recebidos e o receber. O ser vistos e o ver. O ser escutado e o escutar.

Vamos usar práticas da área do mindfulness, a psicologia pré e peri natal, terapia energética na linha de Barbara Brennan, terapia transpessoal, meditação guiada, Pathwork, sounding e escuta ativa.

Ilja van de Griend, 51 anos, holandesa, vive em Portugal desde 2006.

Formada na área da Psicoterapia Transpessoal, Coaching e Terapia Energética, e formadora de terapeutas desde 2005. Nos últimos 7 anos especializou-se na psicologia pré- e perinatal e percebeu a profundidade do impacto das nossas experiências pré- e perinatais.

“Para a maioridade de nós, essas experiências deixaram-nos desamparados, confusos, e desligados da nossa alma. Mas quando é o nosso tempo, ela chama-nos para acordarmos para esta dimensão de nós… e quando temos a coragem de a ouvir, vamos sentir quem realmente somos! E é isso que me motiva nestas oficinas, trazer um espaço físico e vibracional que te ajuda ouvir-te, sentir-te nesta dimensão de ti e trazer ela para a vida!”

Joana Carvalho, 44 anos de idade, portuguesa. Formada como Instrutora de Yoga e de Meditação, na área da Psicoterapia Transpessoal, Terapia Energética e PsychoEnergetics Training. Iniciou o seu trabalho com grupos aos 24 anos de idade como instrutora de Yoga e Meditação. Mais recentemente em 2014 em formação de terapeutas e em 2015 com grupos de desenvolvimento pessoal.

“A vida mostra-me a importância de estarmos presentes na relação connosco, com os outros e com o entorno. Essa presença inclui a capacidade de ir e de acompanhar o outro a locais onde ainda não pode ir e até um pouco mais além disso. Acredito que esta é a forma de nos sentirmos plenos e parte da totalidade da experiência humana. O que me motiva nestas oficinas é o desejo de poder facilitar esta experiência vivida e sentida de humanidade como parte integrante do Todo.”

“A Almasoma é uma casa de aprendizagem, de respeito pelas diferentes formas, de afeto e amor. O ambiente certo para crescer em harmonia, aprender com alegria e servir com humildade.” Inês, cantora, vocal coach e terapeuta energética.

“Ilja como terapeuta é fluidez, harmonia e amorosidade. É uma pessoa que recebe todo o teu ser e onde sabes que podes entregar o mais difícil de carregar em ti. Sentes que vai contigo as profundezas do teu ser, ajudando-te a transformares a dor em luz. É como um bordão que te ajuda a caminhar e a descobrir a beleza de estar cá. Um bordão seguro, estável, consistente e amável que te acompanha no caminho do teu crescimento pessoal. Grata por se cruzar no meu caminho.” Raquel, enfermeira e psicoterapeuta.

“A Joana é uma alma antiga, e isso transparece quando a olhamos na profundeza dos seus olhos. É como olhar para um espelho, que nos vê tal qual somos, sem julgamentos nem juízos de valor, apenas com compreensão e amor. E é isto que nos permite estar e ser com ela como dificilmente estamos ou somos com mais alguém: autênticos, genuínos, capazes de navegar até ao nosso âmago, por mais turbulenta que seja essa viagem, porque nos sentimos seguros com ela e capazes de enfrentar qualquer “Adamastor”.” Paula,  gestora de marketing.

“Os ensinamentos da Shambala baseiam-se na premissa de que existe uma sabedoria humana básica que pode ajudar a resolver os problemas do mundo. Essa sabedoria não pertence a nenhuma cultura ou religião, nem vem do Ocidente ou Oriente. Em vez disso, é uma tradição de guerreiro humano que existiu em muitas culturas em muitas épocas ao longo da história. Guerreiro aqui não se refere a fazer guerra aos outros. Aqui, a palavra guerreiro é tirada do tibetano e significa literalmente “aquele que é corajoso”. Guerreiro neste contexto é a tradição da bravura humana, ou a tradição do destemor.”

“A chave para se ser guerreiro e o primeiro princípio da visão de Shambala é não ter medo de quem se é.”

Chogyam Trungpa – Shambala – O Caminho Sagrado do Guerreiro.